Barcelona/Espanha: Roteiro de 4 dias. O que fazer?

Onde ficar?

Ficamos em Montjuic, no Hotel Gran Hotel Torre Catalunya. Um ótimo hotel! Bem localizado (em frente a estação Sants, que é a principal de Barcelona) e com um preço bem acessível.

Caso ainda esteja procurando por hospedagem para sua viagem, separamos alguns hotéis com ótimas avaliações para você conferir no Booking.com: 3* Ona Hotels Terra / 4* H10 Universitat / 5* The One Barcelona GL / Outras Opções.

Dicas de Barcelona

  • Já comprou sua passagem? Se não, confira os preços através do JetRadar, que pesquisa o melhor preço em dezenas de sites.
  • Nesse roteiro existem literalmente milhares de paradas e outras opções de estádias/visitas; tudo depende do seu tempo e interesses. Plote no Google Map e descubra outras opções.
  • Faça as contas do seu roteiro e veja se vale a pena comprar o Barcelona Card. Se achar que sim, você pode comprar aqui para 3, 4, ou 5 dias. Geralmente vale, principalmente aqui em Barcelona. Ainda inclui transporte público gratuito: Barcelona Card: 25 Museus e Transporte Público Gratuito.
  • Como sempre sugerimos no blog, nunca deixe para comprar ingressos no momento, evitando assim filas e perda de tempo. O blog, em parceria com a empresa Get Your Guide, disponibiliza a opção de compra antecipada de vários ingressos e excursões. Confira alguns exemplos: Aula de Culinária c/ Paella Tour La Boqueria / Tapas e Flamenco em Barcelona / Excursão Girona Game of Thrones.

Roteiro da Viagem

  • 2 dias em Milão
  • 1 dias em Mônaco
  • 1 dia em Marselha
  • 1 dia em Carcassonne
  • 4 dias em Barcelona
  • 4 dias em Madri

O que fazer em Barcelona?

  • Dia 1 (Casa Milá – Lanche na Cerveceria Catalana – Casa Batlló – Casa Amatler – Fundação António Tapias – Placa de Catalunya – La Rambla – Almoço no Genove 1911 – Monumento Columbus – Igreja Santa Maria Del Mar – Museu de Picasso – Jantar no Visual Restaurante)
  • Dia 2 (Basílica Sagrada Família – Park Güell – Gaudí Experience – Casa Vicens – Almoço no Aurea – Camp Nou – Jantar no La Boqueria – Opera de Liceu)
  • Dia 3 (Montjuic Park – Museu Nacional de Arte da Catalunha – Fonte Mágica de Montjuic – Arenas Barcelona – Almoço no Udon – Barceloneta – Jantar no Ferran)
  • Dia 4  (Arco do Triunfo – Parc de la Ciutadella – Almoço no Dionisos – Doces na La Colmena – Catedral de Barcelona – Jantar no Orio – Dança Flamenca no Palácio de Musica Catalan)

Barcelona (2014)

Dia 1 – Casa Milá – Lanche na Cerveceria Catalana – Casa Batlló – Casa Amatler – Fundação António Tapias – Placa de Catalunya – La Rambla – Almoço no Genove 1911 – Monumento Columbus – Igreja Santa Maria Del Mar – Museu de Picasso – Jantar no Visual Restaurante

Barcelona é um dos destinos mais incríveis e procurados da Europa! Super cosmopolita e acolhedora, a cidade tem tudo e muito mais. Possui uma gastronomia incrível, contando com cerca de 20 restaurantes com estrelas Michelin! Tem mais de 2 mil anos de história e arte, que inclui o Museu de Picasso à arquitetura de Gaudí. Barcelona conta com mais de 4,5 km de praias, além de ser a principal parada dos cruzeiros pelo mediterrâneo. Alem disso, festas, passeios, compras e é claro a cidade do Barcelona Futebol Clube. Tudo isso garantirá uma viagem inesquecível!

Os arquitetos modernistas catalães e os escultores fizeram da cidade um verdadeiro museu a céu aberto! Antoni Gaudí, por exemplo, foi um dos mais brilhantes arquitetos que contribuiu imensamente para a história da arte em geral e da arquitetura. Dentre seus trabalhos mais importantes estão casas, pavilhões e edifícios, o Parque Guell e a famosa Basílica da Sagrada Família de Barcelona.

Saímos cedo e pegamos o metro que nos deixou na Avenida Passeig de Grácia com a Diagonal. Com um mapa na mão e muita disposição fizemos todo o roteiro a pé.

Começamos nosso roteiro em Barcelona pela Casa Milá. A Casa Milá foi projetada em 1906, sendo considerada na época uma ousadia, pois rompeu com a tradição arquitetônica. Abriga hoje um centro cultural e é um lugar imperdível em Barcelona. Para entrar nas casa é preciso chegar cedo e também é imprescindível comprar os tickets antes, pois as filas são quilométricas. Aliás, para todas as obras de Gaudí recomendo comprar com antecedência, para não perder tempo e passar raiva em filas: Casa Milà e La Pedrera: Entrada Sem Fila e Guia de Áudio.

Depois da Casa Milá, tomamos café na Cerveceria Catalana, um restaurante imperdível. Seja para o café da manha, almoço ou jantar. Dezenas de tapas, cada uma melhor que a outra.

Nossa próxima parada era a famosa Casa Batlló. Para a Casa Batlló também não pegamos nenhuma fila (que estava gigante), pois já havíamos comprado nossos ingressos com antecedência. A casa é linda por dentro e por fora, sendo umas das principais atrações de Barcelona. Sem duvida nenhuma outra atração imperdível em Barcelona: Ingresso Casa Batlló c/ Smart Guide.

Bem ao lado a Casa Batlló esta situada a Casa Amatller, reformada pelo arquiteto modernista Puig i Cadafalch. Quando fomos a Barcelona, a entrada na casa não era permitida, entretanto isso mudou. Como não fomos, não podemos opinar, mas por fora parece bem legal: Casa Amatller: Ingresso Prioritário c/ Degustação Chocolate.

Bem perto fica a Fundação Antoni Tàpies, criada em 1984 pelo próprio artista. Tem como objetivo promover o estudo e conhecimento da arte moderna e contemporânea. Além de exposições e grande acervo das mais importantes obras de Antoni Tàpies, a fundação organiza palestras e ciclos cinematográficos: Fundação Antoni Tàpies – Entrada e Exposições.

Fomos descendo a Passeig da Grácia em direção a Placa de Catalunya até chegar na La Rambla. Posso dizer que a tão famosa La Rambla é uma explosão de vida, cores, sons! De dia ou de noite ela reúne uma multidão de pessoas!

Passamos no Mercado La Boqueria, tradicional da cidade e paramos para almoçar uma maravilhosa Paella em um dos vários restaurantes. Toda aquela conversa de que os restaurantes na La Rambla não são bons, que são turísticos, não funcionou aqui, pois a paella no Restaurante Genove 1911 foi a melhor que comemos na Espanha (e olha que comemos várias). Talvez tivemos sorte, só sei que não trocaria nenhuma paella que comemos em restaurantes mais chiques por essa.

Seguindo até o final da rua é possível ver o Monumento Columbus, uma estátua de Cristóvão Colombo apontando para o Oriente (Indias).

De lá seguimos para o Bairro Gótico, passando pela Igreja Santa Maria del Mar até chegar ao Museu de Picasso. O museu é um delírio para quem gosta de arte, já que conta com centenas de obras. Realmente imperdível a visita! Para conhecer o Museu é imprescindível comprar antes o ticket, pois as filas são enormes (Provavelmente a maior fila depois da Sagrada Família). O povo olhava abismado de ver algumas pessoas entrando sem pegar a fila. Se você planeja ir a esse museu, não deixe de comprar seu ingresso antes: Picasso em Barcelona: Excursão a Pé e Museu Picasso.

Ao fim da visita pegamos o metro na Las Ramblas de volta e jantamos no restaurante do hotel mesmo, o Visual Restaurante. O restaurante é surpreendentemente muito bom e tem uma vista fantástica para a montanha de Montjuic!

Dia 2 – Basílica Sagrada Família – Park Güell – Gaudí Experience – Casa Vicens – Almoço no Aurea – Camp Nou – Jantar no La Boqueria – Opera de Liceu

A primeira parada do dia foi a famosa Basílica Sagrada Família, o símbolo mais importante da cidade e uma das igrejas mais famosas do mundo! Uma obra ainda inacabada. A primeira pedra foi colocada em 1882 e estima-se que irá terminar por completo em 2025. Uma obra que se destaca na paisagem da cidade, já que a Basílica conta com oito torres, cada uma com cerca de 100 metros e representando um apóstolo. Ainda faltam 10 torres, dentre elas a mais impressionante, que terá 170 metros e representará Jesus Cristo. Por dentro ela é ainda mais incrível!

Quando chegamos mais ou menos 09:00 ficamos assustados com o tamanho da fila, que já dava voltas no quarteirão. Como compramos também os tickets com antecedência a nossa fila era menor, mas mesmo assim tinha uma fila pequena. Se você está com o budget apertado, tenha certeza que essa seja sua escolha, pois tudo aqui é sensacional e muito diferente das tradicionais igrejas que estamos acostumados a visitar na Europa: Ingresso Prioritário Sagrada Família e Torre.

O nível de detalhamento da Basílica é algo impressionante. Para cada centímetro que você olha tem algum detalhe pensado por Gaudí. A mistura de cores dos vidros da Basílica é algo indescritível, você tem de presenciar para entender.

Nosso ingresso nos dava direito a subir em uma das torres. A vista lá de cima é bem legal (Um pouco apertado se estiver muito cheio), mas a sensação é outra, já que de qualquer outro ponto da cidade, você vê a Basílica, e aqui, pelo contrário, você olha da Basílica para o resto da cidade.

Depois fomos de metro até o Park Güell, outro lugar repleto de obras de Gaudí. Em 1900 o poderoso empresário Eusebi Guell encomendou a Gaudí para construir uma cidade jardim em imitação das que se projetavam na Inglaterra. O resultado foi o enorme Park Guell, onde Gaudí expressou sua extraordinária criatividade. Para variar, a fila estava gigante, então compre seu ingresso antes: Ingresso para o Parque Güell (Esse ingresso não da direito a Casa Museu Gaudí, mas você pode comprar separadamente caso se interesse).

Apesar do parque ter várias atrações, como por exemplo la Torre Rosa, a Colina das Três Cruzes, entre outras, a principal atração e a praça oval do parque, com seus assentos coloridos e ondulantes que proporcionam uma vista linda de Barcelona. Não esqueça também da famosa salamandra conhecida como El Drac (um dos símbolos de Barcelona). Os pavilhões da entrada também são sensacionais, outros símbolos de Barcelona.

Na saída descendo pela Rua Larrard, vimos uma espécie de filme 3D sobre as obras do Gaudí. Fomos conferir, não foi nada incrível, mas foi interessante ter uma visão 3D de todas as obras que já tínhamos visto e também um pouco da sua história. Não há necessidade de comprar antecipadamente, pois não havia fila nenhuma, mas caso se interesse: Ingresso Gaudí Experiência.

Bem próximo fica a Casa Vicens, também de Gaudí. Não podia entrar quando fomos a Barcelona, mas agora é permitido. Como não fomos não podemos opinar: Sem Fila: Casa Vicens de Gaudí.

Depois de almoçar em um ótimo bistrô chamado Aurea, que fica bem em frente a casa, fomos para o Camp Nou fazer o Tour no estádio e conhecer o Museu do Barcelona Futebol Clube. Não é barato, então se você não gosta muito de futebol eu saltaria aqui, mas para os amantes de futebol esse passeio é imperdível. Existem vários tipos de excursão disponíveis; escolha a sua: Museu FC Barcelona: Excursão Guiada de 3 Horas com Tapas ou Tour Secreto Camp Nou c/ Jornalista Esportivo.

Voltamos para a La Rambla para jantar no Mercado La Boqueria (la_boqueria). Provamos várias coisas de vários lugares de um dos melhores mercados do mundo. Imperdível.

A noite fomos para o Gran Teatre Del Liceu , uma casa de opera aberta deste 1847 na La Rambla mesmo. Queríamos conhecer o teatro por dentro, e a melhor forma era vê-lo em ação! Então decidimos ver a opera Cendrillon que estava em cartaz na época. Compramos os tickets pelo site da própria Opera de Liceu. Mas cuidado com o assento que escolher, compramos o assento mais barato na zona B setor 2 que não dava para ver absolutamente nada, tínhamos que acompanhar a opera por uma mini TV no assento! Foi uma comédia quando descobrimos que só conseguiríamos ouvir. Vivendo e aprendendo!

Dia 3 – Montjuic Park – Museu Nacional de Arte da Catalunha – Fonte Mágica de Montjuic – Arenas Barcelona – Almoço no Udon – Barceloneta – Jantar no Ferran

A primeira parada no Parque é o Castelo de Montjuic, bem no alto da montanha. A vista é espetacular. Para chegar até lá é preciso pegar o Teleférico de Montjuic, ou você pode subir andando mesmo. Achamos legal pegar o teleférico, principalmente por causa do tempo curto em Barcelona: Teleférico de Montjuïc Bilhete de Ida e Volta.

Descendo em direção a cidade você passa pela Fundação Joan Miró, mas optamos em não ir. Preferimos ir direto para a o Museu Nacional de Arte da Catalunha e ficar mais tempo lá, pois o acervo nos interessava mais: Ingresso Sem Fila para a Fundação Joan Miró.

Mais alguns minutos andando você chega no Museu Nacional de Arte da Catalunha, que achamos ser o melhor museu que fomos na Espanha. Este museu destaca-se pela sua coleção de arte Romântica, considerada uma das mais completas do mundo. Ficamos um bom tempo lá dentro, pois o acervo é enorme.

Já na saída do museu, é possível ver a famosa fonte Mágica de Montjuic.

Almoçamos no Shopping Arenas de Barcelona, que fica bem próximo. Este lugar, que já foi uma arena de touradas, foi desativado e transformado em centro comercial pois em Barcelona a tourada é proibida, ao contrário de Madrid que ainda é possível assistir em algumas épocas do ano. Escolhemos o Restaurante Udon (udon__es), um japonês bem gostoso.

Seguimos depois para tentar pegar um outro teleférico, que nos levaria até o Porto de Barcelona, mais ou menos uns 30 minutos. Entretanto, a fila estava tão grande que desistimos. Fomos andando pela orla até Barceloneta, um bairro antigo que foi construído para abrigar moradores que foram desalojados na construção da Ciutadella. Como era inverno a praia estava vazia, mas no verão essa região literalmente ferve.

Ficamos na área da praia/porto e jantamos no Restaurante Ferran. Paella muito gostosa.

Dia 4 – Arco do Triunfo – Parc de la Ciutadella – Almoço no Dionisos – Doces na La Colmena – Catedral de Barcelona – Jantar no Orio – Dança Flamenca no Palácio de Musica Catalan

Nossa primeira atração do dia era o Parc de la Ciutadella. Chegamos primeiro ao Arco do Triunfo, que é um belo monumento bem próximo da entrada do Parque. O Arco do Triunfo de Barcelona foi construído em 1888. Em volta foram colocados brasões representando todas as províncias espanholas.

Há uns 10 mim a pé já está o Parc de la Ciutadella. Como resultado da conquista de Barcelona em 1714 na guerra de sucessão espanhola, a cidade foi obrigada a demolir cerca de 1200 casas no bairro La Ribeira para construir em 1716 a Ciutadella, a maior fortaleza militar da Europa. Em 1869 o general Prim devolveu os terrenos para a cidade construir um parque, que hoje é um dos principais espaços verdes da cidade. Dá para passar horas passeando pelo parque, andando de bicicleta, ou somente relaxando mesmo.

Além das belezas do parque, lá dentro se encontram o Castell dels Tres Dragons, o Zoo de Barcelona, além do Parlament de Catalunya. Mas só queríamos relaxar mesmo. Ficamos andando pelo parque sem roteiro nenhum.

Almoçamos no Restaurante Grego Dionisos (dionisos_restaurants). Pedimos os Gyros de Frango, que vinham com salada e batata frita (10.90 Euros). Estavam bem gostosos.

Depois seguimos a pé para a Bairro Gótico novamente. Era um dia sem um roteiro, e o bairro gótico é o lugar perfeito para andar sem compromisso e roteiro definido. Lá se encontram dezenas de pontos turísticos e barzinhos/restaurantes legais para ir.

Passamos pela Plaça de l’Àngel e paramos na famosa doceria La Colmena (pastisserialacolmena), que prepara deliciosos doces desde 1849.

Continuamos a andar pelo bairro e paramos na Catedral de Barcelona, só para conhecer mesmo, pois queríamos e andar pelo bairro.

Andamos um tanto pelo Bairro Gótico e jantamos no restaurante Orio, um restaurante de Tapas muito bom, em frente ao Mercado de Santa Caterina, bem legal também, pois a noite fomos conferir um espetáculo de dança Flamenca no Palácio de Musica Catalan o Gran Gala Flamenco.

Uma cidade incrível que não vejo a hora de voltar!

Tagged ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *