Gramado/Brasil: Roteiro de 4 dias. O que fazer?

Onde Ficar?

Ficamos no Hotel Canto Verde, mais ou menos entre Gramado e a saída de Canela. Hotel muito bom, com café-da-manhã delicioso e um ótimo atendimento. Rodeado por muito verde, o hotel é uma ótima opção para quem tem carro, pois não dá para ir a pé para o centro de Gramado.

Caso ainda esteja procurando por hospedagem para sua viagem, separamos alguns hotéis com ótimas avaliações para você conferir no Booking.com: 3* Hotel Cabanas Tio Müller / 4* Hotel Colline de France / 5* Hotel Casa da Montanha / Outras Opções.

Dicas de Gramado

  • Já comprou sua passagem? Se não, confira os preços através do JetRadar, que pesquisa o melhor preço em dezenas de sites.
  • Alugar carro em Gramado foi uma ótima opção, pois como visitamos vários lugares, o carro foi muito importante. Além disso, nos economizou no transfer de Porto Alegre e na questão de não precisar de Uber/Táxi o tempo todo.
  • Não deixe de experimentar o Apfelstrudel do Castelinho do Caracol no caminho para Canela. Imperdível.
  • Como sempre sugerimos no blog, nunca deixe para comprar ingressos no momento, evitando assim filas e perda de tempo. O blog, em parceria com a empresa Get Your Guide, disponibiliza a opção de compra antecipada de vários ingressos e excursões. Confira alguns exemplos: Bus Bier saindo de Gramado e Canela / Maria Fumaça e Tour de Vinícolas / Tour pelo Vale dos Vinhedos.

O que fazer em Gramado?

  • Dia 1 (Rota Agro – Almoço no El Fuego – Lago Negro – Mini Mundo – Jantar na Cantina Pastasciutta)
  • Dia 2 (Centro de Gramado – Loja de Chocolates Prawer – Reino do Chocolate – Museu da Cera – Mundo a Vapor – Jantar no Colosseo)
  • Dia 3 (Canela (Cascata do Caracol – Castelinho Caracol – Parque da Ferradura – Alpen Park – Catedral de Pedra – Jantar no Galeto Di Paolo)
  • Dia 4 (Casa Valduga)

Gramado (2012)

Dia 1 – Rota Agro – Almoço no El Fuego – Lago Negro – Mini Mundo – Jantar na Cantina Pastasciutta

Gramado é o grande cartão postal do Rio Grande do Sul. A cidade é muito famosa e o ano todo promove eventos que atraem os turistas de todo mundo. Para se ter uma ideia, segundo o Jornal do Turismo, em 2011 a cidade recebeu quase 5 milhões de visitantes. Logo pude ver o porque é tão procurada. A cidade é linda, tem um clima de cidade da Europa. Super limpa, o único cheiro que não sai do seu nariz é o cheiro do chocolate que sai das lojas em todas as esquinas.

Nossa 1a atração foi a o que as pessoas chamam de Rota Agro, que inclui a Casa Centenária, o moinho e fabrica de chá erva doce, entre outras atrações. De qualquer maneira o mais interessante aqui é passear pelo interior gaúcho, apreciando as belas vistas durante o caminho. 

Voltamos para o centro de Gramado e almoçamos na El Fuego. Pedimos uma salada, muita Polenta e algumas carnes na Parrilha. Tudo muito gostoso; principalmente as carnes.

Próxima parada foi um dos pontos turísticos mais visitados de Gramado; o Lago Negro. Caracterizado pelas suas águas escuras, o Lago Negro é cercado de muito verde, fazendo do local um dos lugares mais bonitos de Gramado. O lago recebeu esse nome devido as árvores que o cercam, já que as mesmas foram tragas da Floresta Negra, na Alemanha. Com uma área de aproximadamente 17.000 metros quadrados e uma profundidade máxima de aproximadamente 14 metros, andar de pedalinho pelo lago e uma atração obrigatória em Gramado. O valor do pedalinho varia de R$20,00 a R$30,00 e fica aberto de 08:30 as 18:00. Mesmo que não vá andar de pedalinho, uma visita ao Lago Negro é essencial a sua visita a Gramado, já que o lago conta também com uma pista de caminhada ao seu redor e algumas opções de bares/restaurantes.

Saímos do Lago Negro e fomos para o Mini Mundo. O Mini Mundo é um parque ao ar livre que replica vários importantes prédios ao redor do mundo, como por exemplo o Castelo de Neuschwanstein, a Igreja de Stuttgart-Berg, a Igreja de São Francisco de Assis, de Ouro Preto, entre muitos outros. Iniciado em 1979 com apenas uma casinha de boneca, hoje o Mini Mundo é uma grande cidade em miniatura, habitada por milhares de mini-habitantes. O parque conta também com uma boa infraestrutura, que inclui local para alimentação, lojas temáticas e espaço infantil. Se você está com crianças não deixe de visitar, eles vão amar. O ingresso cheio custa R$42,00.

Jantamos no ótimo restaurante italiano Cantina Pastasciutta (cantinapastasciutta). Comida muito boa, aliás é difícil achar restaurante ruim em Gramado. Todos que fomos estavam sensacionais. Comemos um macarrão delicioso, bem estilo rústico mesmo. Sensacional.

Dia 2 – Centro de Gramado – Loja de Chocolates Prawer – Reino do Chocolate – Museu da Cera – Mundo a Vapor – Jantar no Colosseo

Começamos nosso dia visitando o centrinho de Gramado. Andamos pela Borges Medeiros, onde conhecemos a Paroquia de São Pedro, o Palácio dos Festivais e a Rua Coberta, assim como dezenas de lojinhas situado nessa Avenida.

Voltamos para a Avenida das Hortências, onde nossa primeira parada foi na loja de chocolate Prawer, que desde 1975 se tornou a primeira produtora de chocolate artesanais do Brasil. Aproveite para comprar alguns chocolates.

Bem em frente está a Hollywood Dream Cars, mas não fomos. Seguimos para o Reino do Chocolate e o Museu de Cera, bem perto um do outro. Nossa próxima e última atração em Gramado era o Mundo a Vapor. Um museu de miniaturas de maquinas a vapor, que fazem a visita ser bem educativa e divertida, principalmente para crianças; para adultos nem tanto. A parte mais interessante é a fachada do lado de fora, que conta, através de uma réplica, a famosa cena de um acidente ferroviário que aconteceu em Paris em 1805, onde uma locomotiva sem freios atravessou a parede da estação de Montparnasse e ficou dependurada do lado de fora da estação: Ingresso Oficial Mundo a Vapor.

Não podíamos deixar Gramado sem experimentar o tradicional Fondue. Jantamos no Restaurante Colosseo (restaurantecolosseo), considerado um dos melhores Fondues de Gramado. Escolhemos a Sequência de Fondue, que era um pouco diferente do que estamos acostumados, pois pelo menos o de carne era feito na pedra. Delicioso de qualquer maneira. O de queijo e chocolates, feitos da maneira que estamos acostumados também estavam deliciosos. A variedade de acompanhamentos é imensa.

Dia 3 – Canela (Cascata do Caracol – Castelinho Caracol – Parque da Ferradura – Alpen Park – Catedral de Pedra – Jantar no Galeto Di Paolo)

Canela é um passeio obrigatório para quem está em Gramado. Fica pertinho, aproximadamente 4 Quilômetros, seguindo pela Av. das Hortênsias. O carro ajudou demais aqui, pois foi possível conhecer as principais atrações de Canela em 1 dia.

Canela é uma cidade conhecida pelos seus passeios e aventuras ecológicas e nossa primeira parada do dia foi a Cascata do Caracol. A Cascata do Caracol fica dentro do Parque do Caracol, sendo a principal atração o Teleférico que te leva “próximo” da Cascata. Do teleférico mesmo é possível ter uma vista privilegiada da cascata, que é maravilhosa!

No caminho para nossa próxima parada, que seria o Parque da Ferradura, paramos no Castelinho Caracol. Apesar de você poder visitar o Castelo, fomos lá pelo famoso Apfelstrudel. Sensacional. Apfelstrudel é uma torta de maçã, e aqui fazem a melhor e mais famosa da região. A produção é feita ali mesmo e a receita é feita pela família Franzen a 5 gerações. Visitamos também a lojinha e o armazém.

Nossa próxima parada foi o Parque da Ferradura e vários do seus lindos mirantes, sendo o mais incrível o Mirante da Ferradura. A vista daqui é maravilhosa. Vale muito à pena conferir.

Existem mais opções de parques em Canela, como por exemplo o Itambezinho, onde existe o maior cânion da região, mas como já tínhamos ido em dois parques deixamos para uma próxima vez.

No caminho para o Centro de Canela paramos no Alpen Park, mas não ficamos muito tempo não. Fomos em poucas atrações que nos agradou e seguimos para visitar o centro de Canela e sua principal atração, a Catedral de Pedra.

Deixamos Canela e fomos jantar no Galeto Di Paolo. Muito bom. Por R$80,00, você têm direito a sopa de capelete, pão caseiro, galeto al primo canto, vários tipos de massas, polenta frita, polenta na chapa, queijo à dorê, salada de batata com maionese, radicci com bacon, salada de folhas e sobremesas da casa. Tudo muito bom, em especial a polenta, que estava sensacional.

Dia 4 – Casa Valduga

Entre o final de dezembro e o início de março acontece a esperada colheita das uvas no sul do Brasil. Estivemos no Vale dos Vinhedos em Bento Gonçalves no feriado de carnaval em fevereiro, ou seja, no auge da colheita, o que nos proporcionou ver as videiras carregadas de uvas maravilhosas.

Um dos motivos que fizemos essa viagem foi poder visitar as vinícolas, ou nesse caso, a Casa Valduga (uma das melhores e mais tradicionais vinícolas do Brasil).

O pacote foi 280,00 por pessoa incluía um dia inteiro de eventos: 1) Café Colonial nos parreirais 2) Colheita das uvas 3) Degustação do vinho e suco de uva e geléias 4) Visita ao processo de fabricação de vinho, suco de uva e geléias 5) Almoço farto com direito a muito vinho 6) Palestra “sonho de um imigrante italiano” 7) Pisada nas uvas e dança italiana 8) Jantar com costelão e churrasco gaúcho.

A experiencia foi ótimas, pois não foi somente aquela degustação que você bebe, compra um vinho e acabou. Aqui você passa o dia inteiro conhecendo um pouco da cultura dessa região, bebendo ótimos vinhos, comendo refeições deliciosas e se divertindo muito. Recomendamos muito o passeio. Para quem quiser ficar hospedado na própria Casa Valduga, ela também conta com uma pousada maravilhosa.

Tagged , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *