Joanesburgo/África do Sul: Roteiro de 2 dia. O que fazer?

Onde ficar?

Ficamos no The Aviator Hotel, bem perto do Aeroporto. Hotel super arrumado, tudo novinho nos quartos. Ficamos surpresos pela qualidade do hotel baseado na tarifa que conseguimos. Além de ser ótimo, ainda tem transfer 24 horas do e para o aeroporto e estacionamento gratuito. Escolha perfeita. Quarto espaçoso e camas super confortáveis. Ótimo atendimento também. Único porem é que dá para escutar o barulho de aviões durante a noite. Nada muito barulhento, mas se você tem um sono muito leve talvez não seja o hotel para você.

Caso ainda esteja procurando por hospedagem para sua viagem, separamos alguns hotéis com ótimas avaliações para você conferir no Booking.com: 3* Garden Court Sandton City / 4* Home Suite Hotels Rosebank / 5* Four Seasons Hotel The Westcliff Outras Opções.

Se estiver apertado, você também pode procurar por hospedagem mais em conta no Hostelworld.

Dicas da Joanesburgo

  • Já comprou sua passagem? Se não, confira os preços através do JetRadar, que pesquisa o melhor preço em dezenas de sites.
  • Nossa viagem foi feita com nosso filho de 4 anos e a maioria do roteiro foi baseado nele, mas caso não seja seu caso, existem várias outras opções interessantes em Joanesburgo, como por exemplo Soweto e uma visita a Pretoria ou Sun City.
  • Evite ao máximo pegar táxi. Sempre que possível use o Uber. No único dia que não conseguimos conectar para chamar o Uber pagamos um valor absurdamente superior ao usar o táxi.
  • Joanesburgo é a cidade menos turísticas das que você provavelmente irá na África do Sul. 1 a 2 dois dias aqui é mais do que suficiente.
  • Como sempre sugerimos no blog, nunca deixe para comprar ingressos no momento, evitando assim filas e perda de tempo. O blog, em parceria com a empresa Get Your Guide, disponibiliza a opção de compra antecipada de vários ingressos e excursões. Confira alguns exemplos: Excursão de Meio Dia a Soweto / Excursão de 1 Dia a Sun City / Safári no Parque Nacional de Pilanesberg 1 Dia.

Roteiro da Viagem

O que fazer na Joanesburgo?

  • Dia 1 (Constitution Hill – Almoço no Vigour & Verve – Museo do Apartheid – Sci-Bono Discovery Center – Jantar no The Tin Goose)
  • Dia 2 (Lion Park – Almoço no Wetlands – Jantar no Nando´s)

Joanesburgo (2020)

Dia 1 – Constitution Hill – Almoço no Vigour & Verve – Museo do Apartheid – Sci-Bono Discovery Center – Jantar no The Tin Goose

Chegamos no aeroporto, deixamos nossas malas no hotel e pegamos um Uber com destino a Constitution Hill, nossa primeira atração em Joanesburgo e onde pegaríamos o Ônibus Turístico para conhecer Joanesburgo: Circuito Ônibus Hop-On Hop-Off de 1 ou 2 Dias.

Historicamente conhecido como um dos lugares mais malignos da recente história da África do Sul, hoje Constitution Hill é uma celebração a democracia e a liberdade de um país que se hoje não é perfeito se tornou um exemplo de superação. Foi aqui que a nova Constituição da África do Sul foi redigida e é onde hoje está localizada a sede do Tribunal Constitucional da África do Sul.

Constitution Hill é bem grande e tem várias atrações, sendo as mais famosas o conjunto de presídios onde Nelson Mandela e Mahatma Gandhi ficaram presos. Dizem também que a exposição Mandela Gandhi é bem interessante. Não quisermos levar o Enzo, então só andamos para conhecer por fora e pegamos o Ônibus Turístico com destino ao Museo do Apartheid. Também disponibiliza visitas guiadas; confira no site se tiver interesse. Pelo que li, quem fez a visita guiada diz que fez toda a diferença.

Descemos no Gold Reef City Casino, bem em frente ao Museo do Apartheid para poder almoçar dentro do cassino. O que não falta são opções. Almoçamos no Vigour & Verve. Comida rápida, mas bem gostosa. Pedimos o Cajun Chicken & Pineapple Sandwich, que vinha com batata frita (R75) e o 3 Eggs Cheddar Cheese Omelette, que vinha com torradas (R40). Tudo simples mas bem gostoso. Como chegamos para almoçar relativamente cedo, ainda estavam servindo um buffet de café-da-manhã que parecia bem gostoso.

Indispensável em sua visita a Joanesburgo, o Museu do Apartheid é um lugar fantástico para se entender um pouco da história da África do Sul. Já na entrada agente se depara com uma situação bem inusitada, pois existem portas diferentes baseados na sua cor (branco ou não branco), mostrando como era a vida real durante o Apartheid na África do Sul. Dividido em várias áreas internas e externas, cada exposição mostras uma vasta variedade de filmagens, fotografias, artefatos e muitos objetos. É um museu para assistir, ouvir, ler e ver muita coisa. Foi nossa atração favorita em Joanesburgo.

Para leigos, como nós eramos (e ainda somos), o museu apresenta uma noção de como esse regime desumano implementado em 1948 transformou a vida de mais de 20 milhões de africanos, os infiltrando uma vida de servidão, muita humilhação e inexplicável abusos.

É proibido tirar fotos na parte interna do museu, mas é permitido na área externa. No fim do roteiro existem um café e uma lojinha, mas achamos as coisas caras. Fomos nós mesmos, sem guia, até porque é difícil acompanhar um guia com o Enzo, mas caso tenha interesse parece ser bem interessante: Excursão de Meio Dia ao Museu do Apartheid.

Voltamos para o Ônibus Turístico e seguimos para nossa próxima atração, selecionada especialmente para o Enzo, o Sci-Bono Discovery Center. Altamente indicada para crianças, totalmente dispensável para adultos, pois oferece dezenas de atrações interativas para os pequenos. As áreas são super limpas e organizadas. Tem parede de escalada, coisas para construir, experiências de aprendizado, uma área específica pra futebol e muita coisas para eles brincarem e se divertirem. Ficamos no Sci-Bono Discovery Center por algumas horas e o Enzo adorou. Oferece também uma cafeteria para os pais descansarem e relaxar enquanto as crianças se divertem.

Pegamos o Uber e fomos para o hotel descansar, pois ainda estávamos cansados da viagem. Jantamos no restaurante do hotel, o The Tin Goose (tingoosejhb). Fomos de Hawaiian Pizza, com cogumelos, abacaxi, cream cheese e presunto (R135). Pizza bem gostosa, nada especial. Pedimos um Spaghetti a Bolonhesa para o Enzo (R95). Bem gostoso também.

Dia 2 – Lion Park – Almoço no Wetlands – Jantar no Nando´s

Pegamos o carro cedo e fomos em direção ao Lion Park, em Hartbeespoort, a mais ou menos uma hora de Joanesburgo. Se não estiver de carro, existem opções de excursões: Excursão de Meio Dia ao Lion & Safari Park.

O Lion Park foi uma das melhores atrações na África do Sul. O parque oferece uma grande variedade de Tours disponíveis aos visitantes, que incluem o Mini-Safari, o Safari-Noturno, que inclui alimentar os animais, a caminhada com as Cheetas e Leões, o Safari de três horas e o mais famoso, o Alex Tour, com o treinador de animais Alex Larenty. Existe também a possibilidade de você dirigir seu próprio veiculo.

O Enzo só podia ir nos safáris diurnos, que aqui é feito em carros fechados com grade, então selecionamos o Safari de três horas, que deu para ver de tudo. Durante o safári vimos vários leões, cheetas, leopardos, hienas, cachorros selvagens, antílopes, avestruzes e outros. Destaque lógico para a grande quantidade de leões. Demos um pouco de sorte que o tal do Alex estava em uma tour com o carro bem próximo do nosso, então conseguimos ver como ele se interagia com os leões.

Além dos safáris, o Lion Park oferece alguns extras, além de interações com animais, que são tão divertidos quanto. O principal sem duvida é a interação com os leõezinhos, que custa R90 por pessoa. Você entra em um espaço e brinca e tira dezenas de fotos com eles por aproximadamente 10 minutos. Foi a parte favorita do Enzo na viagem. Compramos também comida para dar as girafas.

Nosso guia foi sensacional; explicava tudo nos mínimos detalhes. O atendimento da chegada a saída foi perfeito.

É importante mencionar que o Lion Park não é um safári ao céu aberto como no Krugger Park. Os animais ficam cercados, então se não for o que você quer ver ou isso não lhe agrada, talvez não seja o lugar a ir. Assim como a interação com os animais. É importante mencionar também que a grande maioria dos hotéis e excursões no Krugger Park não levam crianças abaixo de seis anos, e muitas vezes abaixo de dez para ver o Big Five, então talvez aqui seja a grande chance das crianças verem leões e o resto dos animais de perto. No nosso caso, nosso hotel no Krugger Park nos fez pagar por um jeep particular e disse que não levaria o Enzo, que na época tinha 3 anos, para ver o Big Five (isso mudou depois), mas até então, a única opção do Enzo ver leões, fora os zoológicos, era aqui.

Almoçamos lá mesmo no Lion Park, no Wetlands. Comida rápida, pedimos Burgers e Nuggets e fritas para o Enzo. Gostoso, nada demais. O legal aqui é a interação com as girafas, zebras e avestruzes que ficam perto do restaurante. O Lion Park também oferece um restaurante mais chique, o Bull n´Buck Grillhouse.

Saímos do almoço e fomos brincar no imenso playground que o Lion Park oferece, sem custo. O Enzo amou, até porque de lá dava pra ver algumas zebras e girafas, então é tudo que ele queria. Ficamos um tempão no playground pois tinha muita coisa legal pra brincar. Na saída você passa por várias lojinhas, mas não levamos nada, achamos o preço caro.

Voltamos para o hotel, pois o Enzo já estava meio cansado e no dia seguinte iniciaríamos nossa viagem para o Krugger Park, com parada em Graskop. Pedimos Uber Eats para comer no hotel mesmo. Nunca tínhamos provado o Nando´s, especializado em Frango. Surpreendentemente muito gostoso (só tome cuidado com a pimenta, pois é muito apimentado).

Galeria de Fotos

Tagged ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *