Marrakesh/Marrocos: Roteiro de 7 dias. O que fazer?

Onde ficar?

O que não faltam são opções de hospedagem para todos os bolsos e gostos: Albergues, Hotéis de Rede Internacional, Luxuosos resorts, spas e os Riads (antigas casas marroquinas dentro da Medina). Escolhemos ficar em um Riad dentro da Medina. O Dar Andamaure tem apenas 4 quartos e você se sente realmente em um lar marroquino.  Este Riad foi um paraíso no meio do caos da Medina. Eu queria muito ter a experiência de ficar hospedada nestas antigas casas marroquinas e a escolha não poderia ter sido melhor! Tudo foi perfeito, desde o conforto da casa, café da manha maravilhoso, estrutura e principalmente a forma tão acolhedora da casa. Eles oferecem o banho turco, translado do aeroporto e também comemos um jantar típico maravilhoso feito no Riad pelo Abdullah, que é um cara super gente boa e prestativo que faz de tudo no Riad.

Caso ainda esteja procurando por hospedagem para sua viagem, separamos alguns hotéis com ótimas avaliações para você conferir no Booking.com: 3* Hôtel Ibn Batouta / 4* Al Fassia Aguedal / 5* Selman Marrakech / Outras Opções.

Dicas de Marrakesh

  • Já comprou sua passagem? Se não, confira os preços através do JetRadar, que pesquisa o melhor preço em dezenas de sites.
  • Marrocos é considerado a jóia do continente africano, um lugar diferente de tudo que você pode visitar no mundo. Lá se encontra riquezas naturais, aldeias perdidas, desertos de areia sem fim, e uma cultura totalmente diferente da nossa.
  • O motivo principal da viagem foi ver o Galo no Mundial de Clubes, então perdemos 1 dia por conta do jogo, mas o que não falta são coisas a fazer, que você pode incluir aqui nesse dia.
  • Não deixe de conhecer as cidades em volta de Marrakesh, todas sensacionais, principalmente Ait Ben Haddou.
  • Como sempre sugerimos no blog, nunca deixe para comprar ingressos no momento, evitando assim filas e perda de tempo. O blog, em parceria com a empresa Get Your Guide, disponibiliza a opção de compra antecipada de vários ingressos e excursões. Confira alguns exemplos: Passeio Quadriciclo e Dromedário no Deserto / Jantar no Deserto de Agafay / Excursão de 3 Horas pelos Souks Coloridos.

Roteiro da Viagem

  • 7 dias Marrakesh
  • 2 dia em Casablanca

O que fazer em Marrakesh?

  • Dia 1 (Praça Jemaa el-Fnaa – Jantar nas Barraquinhas da Praça)
  • Dia 2 (Mesquita La Koutoubia – Cyber Parc Moulay Abdessalam – Almoço no Bistrot Romain – Jardins Majorelle – Medina – Jantar no Chez Brahim)
  • Dia 3 (Essaouira)
  • Dia 4 (Jogo)
  • Dia 5 (Museu Dar Si Said – Museu de Marrakesh – Medersa Ben Youssef – Almoço no Café Árabe – Palais Badi – Saadiens Tombeaux – Café no Café Kasbah – Banho Turco – Jantar no La Salama)
  • Dia 6 (Montanhas Altas e Ait Benhaddou Kasbah)
  • Dia 7 (Palais Bahia – Dar Si Said – Medina)

Marrakesh (2013)

Dia 1 – Praça Jemaa el-Fnaa – Jantar nas Barraquinhas da Praça

Chegamos no aeroporto de Marrakesh – Menara Airport no finalzinho da tarde, . Tínhamos um transfer incluso no serviço do hotel, que considero ser imprescindível se for se hospedar na Medina. Dentro da Medina não circulam carros. É um verdadeiro labirinto de ruelas para chegar ao Riad e sem um guia seria uma loucura.

É inexplicável a sensação que se tem quando se chega na Praça Jemaa el-Fnaa. Milhares de pessoas disputando o espaço com cavalos, motos e bicicletas, alem de muito barulho, pessoas gritando tentando vender de tudo, música das apresentações típicas, encantadores de cobras e o som das Mesquitas chamando os fieis para a oração. A mistura de cheiros, temperos e carnes assando se misturam com o mal cheiro do esgoto percebido em alguns lugares. Esse choque inicial é normal, mas no segundo ou terceiro dia você vai se acostumando com tudo.

Depois de deixar nossas malas no Riad e apreciar o por do sol do terraço, voltamos para a Praça Jemaa el-Fnaa para jantar.

O local se transforma a noite. Saem as barracas de comercio de mercadorias e os encantadores de cobras e dão espaço para dezenas de barracas de comidas exóticas que vendem todo tipo de comida “estranha”, como cérebro de carneiro. Comemos uns espetinhos de frango e filé com pão, que estavam sensacionais. Com certeza não será o lugar mais higiênico que você irá comer, mas estava tão bom que não importamos com alguns detalhes.

Dia 2 – Mesquita La Koutoubia – Cyber Parc Moulay Abdessalam – Almoço no Bistrot Romain – Jardins Majorelle – Medina – Jantar no Chez Brahim

Ficar hospedado na Medina significa que para ir para qualquer lugar você tem que passar pela Praça Jemaa el-Fnaa. Ao lado da  praça esta situada a Mesquita La Koutoubia, que é a maior mesquita de Marrakesh e um dos cartões postais da cidade, alem de ser considerada patrimônio mundial da Unesco. Tiramos algumas fotos da área externa, pois não muçulmanos não podem entrar nessa mesquita.

Saímos da Medina e fomos andando até o bairro Guéliz – a parte moderna da cidade. No caminho passamos pelo Cyber Parc Moulay Abdessalam e seguimos para a Place du November, onde almoçamos no Bistrot Romain.  Era aqui que estavam ocorrendo as festividades do Mundial, mas fora isso nada demais.

Depois de trocar os ingresses e participar das festividades que a FIFA apresentava, seguimos para o Jardin Majorelle. O Jardin Majorelle é um jardim botânico lindo, construído pelo estilista francês Yves Saint Laurent, e onde atualmente estão suas cinzas. Considerado “Uma miragem psicodélica no meio do deserto”, segundo o Lonely Planet. Realmente um lugar muito bonito. O local também conta com o Museu Berbere, que mostra a história e a cultura das tribos que habitaram o norte do continente africano.

Antes de voltar para o Riad passamos pelos Souks. Andar pelos Souks e se perder pelas ruelas dentro da Medina é uma das atrações da cidade. Souk é nome que se dá para os mercadinhos dentro da Medina; vendem de tudo (temperos, artigos de couro, souvenirs, roupas, artigos de decoração, entre tantas outras coisas). Essa é a parte que você terá contato com alguns grandes negociadores. Na verdade, nada tem preço explicito, tudo é negociado na hora. Tivemos a experiência do preço cair 80%! Então não deixe de pechinchar mesmo!

Jantamos no restaurante Chez Brahim, localizado dentro da Medina. A especialidade eram os Tagines Marroquinos e a comida estava muito boa. Escolhemos dois tipos diferentes de Tagines, que estavam deliciosos.

Dia 3 – Essaouira

Essaouira é uma linda cidade na costa do Marrocos. Fica a 350 km de Casablanca, 175 km de Agadir e 180 km de Marrakesh. A cidade é considerada por muitos uma das melhores praias de Marrocos. Essaouira também tem um famoso centro histórico, classificado pela UNESCO como Patrimônio Mundial: Essaouira: Excursão saindo de Marrakech.

O passeio a Essaouira incluía uma parada em uma cooperativa de Argan no caminho. Foi muito interessante ver como as mulheres marroquinas fabricam artesanalmente o óleo de argan, tão usado para tratamento de cabelo e até para preparar comida. Foi possível entender como é feita sua fabricação da maneira mais tradicional: Primeiro, os frutos são manualmente abertos (rachados). Em seguida o fruto é removido e deixado para secar.

Depois da fruta ter secado por um tempo, ela é aberta, e as sementes do interior do fruto são removidas. O fruto é então assado e amassado em uma pasta à base de água. O óleo é pressionado manualmente a partir da polpa.Depois de mais uns 30 mim de viagem chegamos a Essaouira às 11:00 e iríamos voltar as 17:30, o suficiente para almoçar e conhecer a cidade. Foi a cidade mais bonita que conheci no Marrocos!

Começamos pela Medina de Essaouira, classificada pela UNESCO como Patrimônio Mundial. A Medina é bem diferente da Medina de Marrakesh, não só pelos lindos tons de branco e azul, mas pela calma e brisa do mar. Não é por acaso que a cidade tem o apelido de cidade do vento!

Almoçamos pela Medina mesmo, em uma das várias feirinhas servindo frutos do mar extremamente fresco.

Seguimos para o forte, o ponto alto das muralhas, onde se pode ver a imensidão do mar e também uma boa vista da cidade. Os canhões são um charme a parte! Terminamos no mercado de peixe e na zona portuária.

Linda cidade, se tiver tempo não deixe de ir.

Dia 4 – Jogo

Dia do jogo! Não fizemos nada neste dia. Acordamos tarde, almoçamos, andamos um pouco pela Medina e depois fomos para o jogo.

Quando voltamos ao hotel, tínhamos encomendado um jantar especial feito pelo Abdulah. Tajine de Cordeiro com amêndoas e ameixa. Delicioso!

Dia 5 – Museu Dar Si Said – Museu de Marrakesh – Medersa Ben Youssef – Almoço no Café Árabe – Palais Badi – Saadiens Tombeaux – Café no Café Kasbah – Banho Turco – Jantar no La Salama

Esse foi um dia reservado totalmente para as atrações turísticas da cidade. Pegamos o mapa e fomos a pé a todos os locais. Começamos pelo Museu Dar Si Said, também conhecido como Museu das Artes Marroquinas. Esse museu é considerado o mais antigo da cidade e o que maior número de obras exibe. Uma coisa interessante de alguns museus em Marrocos é o fato do lugar, nesse caso um palácio, ser a maior atração do Museu. O lugar é muito bonito e tem uma arquitetura bem diferente do que estamos acostumado.

Próxima parada foi o Museu de Marrakesh. Outro palácio extremamente bonito do final do século 19. Aqui, assim como no Museu Dar Si Said, o palácio em si foi o mais interessante da visita.

Bem ao lado está a Medersa Ben Youssef, que foi construído por volta de 1570 e usado como escola corânica e albergue até 1962. Uma medersa é um colégio ou escola muçulmana de ensino superior especializada em estudos religiosos. Essa Medersa é considerada a maior medersa de Marrocos. Esse foi o local que achei mais bonito em relação à arquitetura.

Ao sair da visita a Medersa Ben Youssef, fomos andando pelos souks, até chegar ao famoso Café Árabe; um Café Lounge Bar super bonito e descolado onde almoçamos vários pratos marroquinos deliciosos.

Próxima parada (depois de uma boa caminhada) foi o Palais Badi, construído no século 16. Um lugar grandioso, com uma vista maravilhosa da cidade.

Ainda caminhando, seguimos para a Saadiens Tombeaux, literalmente um mausoléu do século 16 com várias tumbas dos membros da dinastia Saadi. A sala das 12 colunas de mármore é muito famosa e extremamente bonita.

Aproveite para tomar um chá no Café Kasbah, bem em frente as Saadiens Tombeaux, com uma vista privilegiada da Mesquita Kasbah.

Próxima para foi uma visita a um dos muitos Spas em Marrakesh, para o famoso Banho Turco. Peca seu hotel para marcar em um SPA de confiança.

Jantamos no La Salama, um ótimo restaurante bem próximo da Praça Jemaa el-Fnaa.

Dia 6 – Montanhas Altas e Ait Benhaddou Kasbah

Ouarzazate é uma cidade do sul de Marrocos, apelidada popularmente de “porta do deserto”. Sem sombra de dúvida , a grande atração de Ouarzazate é Ait Ben Haddou. Ait Ben Haddou é um dos kasbahs mais exóticos e mais bem preservados do país. É uma tradicional cidade fortificada (ou ksar) feita de tijolos de lama, depois das Montanhas Atlas. Está na lista de Patrimônio Mundial da UNESCO, e foi também cenário de mais de 20 filmes. Alguns filmes famosos filmados lá incluem Lawrence da Arábia, Gladiador, A Múmia, entre tantos outros: Excursão Guiada a Ait Benhaddou Kasbah.

Ait Ben Haddou é imperdível. É inacreditável. Indescritível. Talvez a grande atração de Marrocos, junto a Medina de Marrakesh.

Nossa ideia inicial era passar a noite no deserto, mas por questão de uma gripe muito forte decidimos não fazer essa excursão. Se puder vá, todos que vão amam a experiencia: Excursão de 2 dias ao deserto de Zagoura.

Dia 7 – Palais Bahia – Dar Si Said – Medina

Esse era o último dia e ainda faltava conhecer o Palais Bahia e Dar Si Said.

Fomos em ambos na parte da manhã. Ambos muito interessantes, assim como qualquer atração em Marrakesh.

Deixamos para comprar as coisas no último dia. Passamos a tarde toda andando pela Medina descobrindo e comprando coisas para trazer de volta ao Brasil.

Uma viagem incrível e inesquecível. Marrocos é sem dúvida sensacional. Um lugar imperdível para os amantes de viagem e culinária.

Galeria de Fotos

Tagged ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *